05 outubro 2005

Segunda Chance

p.s. – Dylan Kidd – 2004

Laura Linney se tornou uma das atrizes mais talentosas na última década. Com duas indicações ao Oscar, por Conte Comigo (2000) e Kinsey (2004), Linney poderia ser indicada novamente pelo papel de Louise Harrington, uma mulher de 39 anos, divorciada que trabalha na Universidade de Columbia, na faculdade de artes, enquanto divide seu tempo reencontrando seu ex-marido, Peter (Gabriel Byrne) e conversando com sua amiga, Missy Goldberg (Marcia Gay Harden), Louise encontra uma ficha de um jovem pintor, F. Scott Feinstadt (Topher Grace – de Traffic), um jovem pintor figurativo que tem as características de um namorado da juventude e quando o conhece percebe que as semelhanças são também físicas, despertando um desejo há muito tempo adormecido. Mas a diferença de idade, o fantasma do passado e as confissões do ex-marido dão um nó na cabeça da correta Louise.

A interpretação de Laura é dividida em dois momentos singelos, são duas passagens em frente as escadarias da Universidade no começo e no final do filme. Essas cenas mostram muito do maravilhoso universo feminino, que aqui contou com a maravilhosa performance de Linney.

Dylan Kidd fez seu debut no cinema com Roger Dodger (2002) onde o universo masculino era seu foco principal, na história do redator publicitário Roger (Campbell Scott) que se acha mestre na sedução de mulheres, mas seu mundo é pego de surpresa com a chegada de seu sobrinho adolescente. Roger Dodger ganhou o prêmio de melhor filme no primeiro festival de Tribeca, criado por Robert De Niro em resposta aos ataques a NY no fatídico 11/9. p. s. é o seu terceiro longa.

p. s. é o nosso obs.

As pinturas que se vê nos filmes são do artista nova iorquino Bryan Leboeuf (clique e veja sua biografia), um mestre da academia de arte de NY que usa do realismo no seu trabalho para expressar um mundo virtual, ou como a personagem que usa suas pinturas comenta, uma história pintada.

Nenhum comentário: