17 outubro 2005

Mar Adentro

Mar Adentro – Alejandro Amenábar – 2004

arte (Do lat. arte.) S. f. Capacidade que tem o homem de pôr em prática uma idéia, valendo-se da faculdade de dominar a matéria.

O filme, baseado numa história verídica, segue a trajetória de Ramón Sampedro (Javier Bardem) um marinheiro que ficou tetraplégico, num acidente de mergulho na praia. Ramón fica aos cuidados dos parentes que se desdobram para que nada lhe falte, mas a verdadeira intenção de Sampedro é ganhar na justiça o direito de tirar sua vida. Proporcionando um rico debate sobre eutanásia.

Em nenhum momento do filme o diretor vai escolher um caminho. O mais sensível dos cineastas atuais, Alejandro Amenábar, responsável por Abre los ojos, que virou Vanilla Sky nos EUA e Os Outros, o suspense com Nicole Kidman, mostra a maturidade dos grandes nomes do cinema ao contar a história do marinheiro poeta. O filme ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2004.

Javier Bardem mostra-se um ator espetacular, relembrando sua perfomance genial de Reinaldo Arenas em Antes do Anoitecer. Uma cena em especial dá o tom poético do filme. Ao som da magnífica Nessun Dorma! Do italiano Giacomo Puccini, Sampedro mostra como passa boa parte do tempo no quarto onde está confinado, seu pensamento voa, e sua liberdade é tão sólida quanto à de um passarinho, seu destino é o seu guia e o olfato sua bússola. É a cena mais sensível dos últimos anos.

Cinema nem sempre é entretenimento, muitas vezes é usado para passar uma mensagem, fazer uma crítica ou mostrar os lados e não julgar ninguém, quando isso acontece, é a pura 7ª arte.

"Mar adentro, e na leveza do fundo, onde se realizam os sonhos, se juntam duas vontades para realizar um desejo. Seu olhar e meu olhar como um eco, repetindo, sem palavras. Mais adentro, mais adentro. Até mais além de tudo, pelo sangue e pelos ossos. Mas eu acordo sempre, e sempre quero estar morto para continuar com minha boca enredada em seus cabelos."

Ramón Sampedro

Nenhum comentário: