27 junho 2020

Filmes Conservadores para Assistir na Netflix


Você prefere lutar para destruir, ou para conservar o bom? As mudanças na sociedade devem vir de seres "revolucionários iluminados", ou da democracia e escolha da maioria? O conservadorismo está na pauta do dia. Seja cada vez mais atraindo adeptos, seja atraindo o ódio, como de costume ao longo dos séculos. Recentemente, o jornalista Ernesto Lacombe foi demitido por ter confessado sua preferência. No cinema, não é diferente, Hollywood é tomada por socialistas. Clint Eastwood, James Woods, Sylvester Stallone, Jon Voight e Chris Patt, são alguns corajosos que assumem suas posições num ambiente hostil.

Apesar dessa maioria esmagadora, o cinema ainda produz filmes conservadores na meca da cidade conhecida por sua inclinação política. Separamos uma lista explicando porque chamá-los de conservadores.

OS BRUTOS TAMBÉM AMAM (1953)

O clássico dos filmes de western de George Stevens convida-nos a conhecermos a personagem principal, Shane (Alan Ladd), um pistoleiro cansado que tenta formar uma família, mas um conflito entre colonos e fazendeiros o força a agir, suas virtudes alcançadas pela vida que levou, moldadas pela violência e pela busca de redenção, ajudam-no a proteger inocentes.

TOY STORY (1995)

As grandes animações da Pixar possuem um senso de conservadorismo louvável numa Hollywood cada dia mais progressista, Toy Story traz para discussão a importância da família estruturada, as escolhas morais que a vida nos faz passar constantemente, a amizade e fidelidade.

SE7EN (1995)

O subtítulo já entrega o teor conservador do filme, os 7 pecados capitais, gula, cobiça, preguiça, luxúria, vaidade, inveja e ira. O craque David Fincher, num clima noir moderno, vai entregando cada crime pelo pecado que representa e mostrando o quanto nossa sociedade vive entre essas transgressões normalmente, destruindo a civilização por dentro e aos poucos.

FORREST GUMP (1994)

O excepcional desempenho de Tom Hanks como Forrest Gump passa pela história norte-americana como se fosse a Odisseia de Homero, com princípios firmes de família e patriotismo enquanto, paralelamente, Jenny (Robin Wright), seu amor de infância, resolve seguir o lado contrário, o revolucionário. O resultado disso é obvio e acaba por evidenciar que o caminho da destruição é mais agradável, sedutor, num primeiro momento, mas seu destino é certo no final.

A PROCURA DA FELICIDADE (2006)

A vida do self-made man, Chris Gardner, é uma lição de conservadorismo. A perseverança, os princípios e a obstinação são exemplos claros da pessoa que prefere enxergar a si, do que se vitimizar perante a sociedade. Ninguém conseguiu derrubar Chris, mesmo com tudo contra, mas em nenhum momento ele se entrega ao fácil, pelo contrário, segue seu ideal firme.

GLADIADOR (2000)

O General que se tornou escravo, o escravo que se tornou gladiador, o gladiador que desafiou o imperador. O senso de família, militarismo e patriotismo do General Maximus Decimus Meridius é sólido como rocha. Sua saga, perseverando sempre esses três elementos, é uma aula sobre conservadorismo, e sua vontade em servir Roma, um exemplo a ser repetido.

Nenhum comentário: