10 janeiro 2020

O Caso de Richard Jewell


Richard Jewell - Clint Eastwood - 2019 (nos melhores cinemas do país)

Na sensacional minissérie Chernobyl, o protagonista pergunta: qual o custo de uma mentira? O filme de Clint Eastwood é a resposta dessa pergunta.

Após perder a eleição para o Senado, Renan Calheiros, sem querer, expôs toda a podridão da relação jornalística com políticos. No twitter, o senador, respondendo uma agressão verbal da jornalista Dora Kramer, disse que sempre fugiu do assédio dela, até porque empregava seu marido como assessor, e que encorajava outros colegas, como o presidiário Geddel Vieira Lima, a namorá-la. Renan já tinha um histórico de relações promíscuas com pessoas da mídia, como a amante Mônica Veloso. Essa conexão é mais comum que pensamos. É dela que as pessoas do alto escalão se valem para continuarem no topo, num sistema que não desinforma, manipula.

Atuações acima da média fazem do filme do herói da vida real, Clint Eastwood, uma ode ao conselho do genial Pedro Almodóvar: "o melhor ator não é aquele que chora, e sim o que luta para conter as lágrimas". Paul Walter Hauser, Kathy Bates e Olivia Wilde aprenderam direitinho. Sam Rockwell soberbo e Jon Hamm, surpreendendo, completam o time de Clint.

O Caso de Richard Jewell, o segurança herói que virou segurança extremista, a imprensa ama essa expressão, expõe a sociedade da mediocridade, da importância de habilidades menores. O final do filme é uma aula, uma lição de Richard, que será lembrada por séculos.

Nenhum comentário: