02 janeiro 2020

Dor e Glória

Dolor y Gloria - Pedro Almodóvar - 2019 (Cinemas)

- É um texto confessional. Não quero que ninguém me identifique.
- Claro.
- Sobre a encenação, eu sugiro um palco vazio. Uma tela. Uma cadeira se não souber o que fazer com os braços e as mãos.
- Sei perfeitamente o que fazer com os braços e com as mãos.
- Depois de corrigi-lo, reconheço que o texto ficou um pouco melodramático.
- Não se preocupe, também domino o melodrama. Para algo me serviram meus anos mexicanos.
- Por isso que te digo, você tem que fugir dos sentimentalismos. Controle a emoção. Não chore. Os atores aproveitam qualquer pretexto para chorar. O melhor ator não é aquele que chora, e sim o que luta para conter as lágrimas.

Pedro Almodóvar filma sua autobiografia com Dor e Glória, cheio de cores, repleto de mulheres fortes e homens inseguros, com Antonio Banderas e Penélope Cruz protagonizando e um Asier Etxeandia roubando a cena, mas com um clima menos tenso que o usual de seus filmes. Inspirado no clássico 8½ de Federico Fellini O diálogo acima é um bom retrato do que é a película. 

Nenhum comentário: