29 novembro 2019

O Irlandês


The Irishman - Martin Scorsese - 2019 (Netflix)

Quem matou JFK? Quem matou o Papa João Paulo I? Quem matou Benjamin Siegel? E quem matou Jimmy Hoffa? Essas perguntas sempre estiveram em aberto, muitas teorias, poucos resultados, em comum só o fato de sempre a máfia estar envolvida nelas.

A Omertà, código de honra e silêncio siciliano, segundo o livro pizzo - história e administração da máfia, é algo tão enraizado na cultura que foi utilizado pela máfia como método administrativo de manter segredos dos atos fora da lei.

Na última vez que Joe Pesci, Martin Scorsese e Robert De Niro estiveram juntos na telona, o Brasil conhecia a internet, o Ebola dizimava populações na África e FHC governava o país em meio a escândalos, como do SIVAM. O mundo e o Brasil mudaram, mas esses três continuam os mesmos, o velho Scorsa rápido, certeiro, musical e usando e abusando da narração de fundo, aqui ele até brinca com essa característica colocando o narrador falando em frente à câmera. Robert De Niro sempre comedido, técnico, preciso. E Joe Pesci, que ator, um holofote ambulante, roubando e iluminando todas as cenas que aparece. São três profissionais exemplares, com carreiras impecáveis e que sabem contar uma história como poucos. É a 4ª vez que trabalham juntos, Touro Indomável (1980), Os Bons Companheiros (1990) e Cassino (1995) completam a nada modesta lista.

Além dessa reunião maravilhosa, O Irlandês traz também outro ator tarimbado que fazia tempo não trabalhava com o cineasta, Harvey Keitel, que desde A Última Tentação de Cristo (1988) não estava no mesmo set que Martin Scorsese. Porém, o esperado encontro é mesmo com Al Pacino, cineasta e ator nunca trabalharam juntos, apesar de uma filmografia bastante semelhante e a descendência italiana, de ambos.

Baseado no livro homônimo O Irlandês - Soube que pinta casas, de Charles Brandt, o filme atravessa a vida do irlandês motorista de caminhão, Frank Sheeran (Robert De Niro), que faz amizade com o poderoso mafioso Russell Bufalino (Joe Pesci) que o apresenta ao lendário sindicalista Jimmy Hoffa (Al Pacino).

Um comentário:

Kamila Azevedo disse...

Ainda não assisti, mas já está na minha lista do Netflix!