21 janeiro 2019

Green Book - O Guia


Green Book - Peter Farrelly - 2018 (Cinemas)

Numa suntuosa mansão norte-americana, a alta sociedade local prepara um jantar e uma apresentação magnífica para o "virtuoso", como eles o apresentam, Dr. Don Shirley (Mahershala Ali). No intervalo da performance, conversando com o anfitrião, o músico pergunta onde é o banheiro, o dono da mansão então aponta para um pequeno cubículo de madeira instalado na área externa da casa. O virtuoso - e agora paciente e educado, volta ao seu hotel para usar um banheiro, e retorna a mansão para terminar o espetáculo.

Além de "virtuoso", o negro Donald Walbridge Shirley aprendeu a tocar piano aos 2 anos, e tinha doutorado em música, psicologia e Artes Litúrgicas, de onde vinha o Doutor Shirley.

O leão de chácara, o italiano Tony Lip (Viggo Mortensen) é daqueles caras fanfarrões. Talvez tenha o ginásio completo, mas sabe se virar como ninguém nas ruas.

A improvável amizade entre o culto, fino e o proceloso, bruto, acabam rendendo várias situações engraçadas, e uma história belíssima e dignificantes de dois seres humanos que apesar dos preconceitos que tinham, se respeitavam.

E essa simbiose entre drama e comédia só pode ser creditada a Peter Farrelly, o inesperado (olha o preconceito) diretor de comédias do tipo Quem Vai Ficar com Mary (1998) e Debi & Lóide (1994), é o grande responsável por Green Book ser um filmão.

O titulo original é uma referência a The Negro Travelers Green Book, publicação que guiava os viajantes negros norte-americanos por hotéis, paradas de estradas e restaurantes que iriam servi-lhes durante a viagem de carro.

O verdadeiro Tony Lip é mais famoso pelo seu papel como Carmine Lupertazzi em Família Soprano (1999) e algumas pontas em filmes de Martin Scorsese.

Durante a viagem, Tony, um comilão frenético, compra o famoso balde de frango frito do Kentucky, mas, para seu espanto, Doc Shirley diz que nunca comeu, Tony não acredita, afinal, diz ele, o frango frito é do "seu povo". Doc Shirley, fica injuriado pelo comentário, mas Tony completa: "espere um pouco, se você dissesse que todos os carcamanos comem pizza, espaguete e almôndegas eu não vou me insultar". O músico acaba experimentando, mas reclama da falta de talheres.

Um comentário:

Kamila Azevedo disse...

Assisti ontem a "Green Book: O Guia". O filme faz rir, emociona, causa uma empatia enorme com a gente. Gostei da progressão da história e da dinâmica entre os dois personagens centrais. Entretanto, achei muito barulho por nada. Não sei se o que "Green Book" apresenta é o suficiente para ser considerado como o favorito para o Oscar de Melhor Filme. Dentro da filmografia de Peter Farrelly, com certeza, vai se destacar como um dos pontos altos da carreira dele, sem dúvida!