22 outubro 2008

My Name Ain't Johnny

Meu Nome Não é Johnny – Mauro Lima – 2008 (DVD)

Fuck you é o caralho. Fuck tu, fuck eu, fuck o caralho todo.

Ainda adolescente João Estrela teve uma preciosa lição de seu pai ao pedir uma prancha de surfe. Seu progenitor lhe disse a frase, “não sou de dar o peixe, mas vou lhe ensinar a pescar”. Foi o que bastou para transformar João Estrela em Johnny (Selton Melo), de consumidor a maior traficante do Rio de Janeiro nos anos 90.

Meu Nome Não é Johnny conta à trajetória – o começo, o auge e o declínio, do simpático rapaz da classe alta carioca. Apesar de já conhecermos o percurso, o caminho será interessante, obra do belo roteiro, baseado no ótimo livro homônimo de Guilherme Fiúza, primo de João Estrela, e roteirizado por Mariza Leão e pelo próprio diretor, Mauro Lima. A edição de Marcelo Moraes ganha destaque pela seqüência, e pelas idas e vindas do tempo sem o uso de trucagens.

É um importante documento para nossa juventude, e também um ótimo exemplo para nossa justiça, embora seja inegável que a classe social tenha interferido neste caso. A glamourização, que muitas vezes o filme nos mostra, é necessária e didática para uma sociedade hipócrita e superficial como a nossa, onde a condição social é o valor mais importante de um cidadão. E João Estrela é mais uma prova disso.

"O verdadeiro lugar de nascimento é aquele em que lançamos pela primeira vez um olhar inteligente sobre nós mesmos (...)"

9 comentários:

Pedro Henrique Gomes disse...

O filme é bacana, mas não achei nada demais. Selton Melo em grande desempenho e Cleo Pires também!

Abraço!

Anônimo disse...

Cassiano, você foi PERFEITO no penúltimo parágrafo de seu texto. Acho que o papel de "Meu Nome Não é Johnny" é este mesmo: servir como objeto de informação, de conscientização, porque existem muitos Johnnys por aí...

Kau disse...

Eu gosto deste filme, Cassiano. Acho bem feitinho... e gosto bastante da atuação de Selton Mello; o qual já é um dos melhores atores nacionais.

Ah! Destaco Cássia Kiss que, em papel totalmente secundário, arrasa.

Abraços.

Ramon disse...

É bonzinho, mesmo, é? Vou assistir em breve, então.

Abs!

Anônimo disse...

Eu gostei desse filme! Está longe de ser uma obra-prima, mas achei muitas das críticas um tanto injustas - afinal compará-lo com "Tropa de Elite" já é querer demais...

Abraço!

Rogerio disse...

Achei o filme meia boca.As atuaçoes novelisticas, com exceçao do Selton, mataram o filme.

A msg fica no meio do caminho.Nem alerta, nem choca, nem condena.A Historia do Estrela eh interssantissima, mas achei que foi mal retratada.

Unknown disse...

Não vi o filme nem li o livro, mas aqui no Rio a história de João Estrela é famosa. Já era, antes de ser adaptada para a tela grande. E, sinceramente, não acho nada de extraordinário que merecesse um filme...

Abs!

Museu do Cinema disse...

Obrigado Kamila!

Anônimo disse...

Bem, disseram aí em cima que não viram nada demais na história para se fazer um filme, mas veja, pq o resultado vale... Me disseram a mesma coisa de Madame Satã e eu achei o filme sensacional...

Sobre o filme, bem, é muito bom, inegável, o Selton Mello tá muito bem... Mas eu não sou muito fã da mensagem que ele traz, e ao contrário do que se passou, discordo veementemente da ação da juíza que foi super boazinha com ele soh pq era branco, bonito e falava bem...

No mais, é isso... Eu escrevi algo no blog sobre ele, se quiser ler, abraços..